Arquivo | julho, 2013

sobre deixar pra trás

30 jul

Hoje, revi diversas amigas e falamos sobre muitas coisas, relembramos muitas histórias e rimos muito.
Engraçado que depois desse fim de tarde maravilho me peguei pensando em tudo que já deixei pra trás (e elas também!).
Além de mudar de curso, deixar para trás grande parte de um estudo, namorados e alguns amigos, não por mal, mas porque a vida é assim. Vamos indo e adquirindo coisas novas e deixando outras de lado. Não por falta de amor, mas porque não conseguimos carregar tudo o tempo todo.
Mais especificamente me dei conta que deixamos tantos amores. Sim, amores. Pessoas que amamos, não por falta de amor, mas por excesso de amor próprio. Não por egoísmo e falta humildade, mas por amarmos nossos sonhos acima de tudo. Assim como já deixamos algo/alguém em nome de nós mesmos, já fomos deixamos (se não fores, vais ser um dia, desculpe!).
A vida é assim, cheia de idas e vindas, de coisas novas, de lembranças, choros e risadas.
Ainda bem que a vida tem permitido que eu conserve poucas e boas amizades há anos, que depois de tantos amores deixados, essas amigas seguem firmes e fortes ao meu lado e cada dia mais agregando novos amigos.

Sobre paraíso.

29 jul

Todo mundo tem um lugar, uma música, um livro, uma cia que acalme, que faça tudo que está fora do lugar se alinhar de forma coerente, lindamente e rapidamente.
O meu lugar é mais longe do que gostaria que fosse. Não consigo ir no final de semana, numa tarde, preciso de pele menos uns quatro dias lá para compensar a viagem. Infelizmente.

Depois de passar uma semana na estrada (em ótima cia!), percebo que hoje eu tenho “my person” (que infelizmente não estava nessa viagem desta vez) e “my place”, que é o Uruguai como um todo, mas Montevideo em especial. Me sinto tão em casa lá que na hora de ir embora, sem me dar conta, me enrolo e emburro, que nem criança pequena.

Mas sobre esses pequenos paraísos que temos, é bom saber que eles existem e que sempre podermos voltar lá, recarregar, sorrir, descansar, corpo, mente e reconstruir a alma e o coração.
As “nossas pessoas e lugares” são as que nos ajudam a reconstruir tudo que se despedaça no caminho, que se perdem nas feridas do tempo. Lamentável, mas real.

Nada como saber que se tem “uma pessoa” para contar e “um lugar” para fugir quando tudo tá do avesso.

Meu conselho? Quem não tem “uma pessoa” e “um lugar” que ache, pois nada melhor do que reconstruir, renovar, reviver.

sobre amores para a vida toda

19 jul

Muitas pessoas passam por nossas vidas, sejam amigos, namorados, pequenos romances ou meros conhecidos.
Pouco importa, mas todas deixam sua marca, mesmo que sejam meras lembranças que acabamos esquecendo com o passar do tempo.
Mas, você já parou para pensar naquelas que deixaram marcas significativamente boas?
Pois é, andei me dando conta que algumas pessoas passaram pela minha vida e além de deixarem ótimas lembranças, me “apresentaram” ótiiiima literatura, cinema e música. É. Hoje, meus autores favoritos, por exemplo, não descobri sozinha, me foram apresentadas por pessoas que hoje não estão mais na minha vida, mas jamais sairão da minha lembrança.
Agradeço por Madame Bouvary e por tantos outros romances francês do século XIX e início do XX. Agradeço, eternamente, pelo Antônio Bivar, pelo “A Cor dos meus sonhos” do Juan Miró, por “Mês de Cães Danados”, entre tantos outros livros que hoje, considero meus “queridinhos”.
Ainda bem que sempre tive um bom dedo para “escolher” pessoas com bom gosto literário.
Sobre músicas e cinema, bom, deixo pra outro dia.

Meus romances pessoais estão muito mais ligados aos romances literários.

ah, se tu quisesses meus conselhos

16 jul

Entre as coisas belas e boas para fazer o longo da vida eu aconselharia ver o nascer do sol pelo menos uma vez a cada seis meses. Se apaixonar constantemente, pela vida, pelo trabalho, pelos amigos, por filmes, livros, musicas, por si mesmo.
Se eu tivesse que dar algum tipo de conselho, eu diria que deverias beber mais água, sorrir mais vezes ao acordar, agradecer antes de dormir, falar mais vezes eu te amo e ir mais ao cinema. Eu diria que vale a pena guadar alguns minutos todos os dias para fazer aquilo que te da prazer.
Ah, se eu fosse te dar algum conselho, eu falaria para veres o sol nascer, sempre que possivel.

Posted from WordPress for Android

entre lembraças e esquecimentos

16 jul

Entre as boas lembranças, sempre tem tudo aquilo que nosso cérebro, cautelosa e inteligentemente esquece. Adoro os esquecimentos, são neles que estão as verdadeiras memórias, as dores e as tristezas, mas não só isso, são nos esquecimentos que encontro os pequenos prazeres, é onde se escondem os melhores suspiros, cheiros e beijos.

Não adianta, a memória só guarda os fatos grandiosos. Esconde o que há de melhor!
E dai, num belo dia, caminhando no centro da cidade, passando pelo mercado público, do nada, abre-se aquele sorriso idiota, pois o esquecido tornou-se visível a mente! Ahhhh, aquele dia, que delícia.
E assim a vida segue, entre lembranças e ótimos esquecimentos, que retomam nossa mente quando menos esperamos, numa segunda-feira a noite.

Sobre preconceitos

14 jul

Acho incrível como a sociedade em que vivemos é, além de vazia, hipócrita pra caramba. Por quê? Bom, eu poderia fazer uma lista interminável, bem na verdade, mas vou me prender a um único assunto: preconceito.

Fazer piada sobre judeu, negro, gordo e homossexual é politicamente incorreto, e por que que com pessoas católicas, brancas, baixas e heteros não?
ok, vão me dizer que elas não sofrem preconceito. Mas pera lá, quem disse que uma pessoa que não é muito magra não sofre por causa disso, ou uma pessoa que é baixa? Ah sim, a sociedade impôs que ser: magro, baixo, branco, católico e hetero é o padrão então debochar de alguém que tem alguma dessas características tá ok?
O preconceito vem de fora para dentro, ok, mas e os traumas e frustrações???

Acho que tá na hora da sociedade encarar o preconceito ou a simples brincadeira com outros olhos.
Se eu encontrar com algumas pessoas na rua e lá no meio tiver um amigo gay e um negro e outros dois loiros, e eu me referir a uma terceira pessoa descrevendo desta forma, pode ter certeza que vai ser “aie q horro” por eu me referir ao gay e ao negro assim, mas os loirinhos?! pff, que nada.

Então, eu me pergunto, porque que eu tenho que ouvir mil piadas sobre ser baixinha e não posso processar a pessoa por me ofender enquanto que uma pessoa obesa pode, caso seja chamada de gorda?!
Acho que as pessoas devem ser menos hipócritas, mais sensatas em suas brincadeiras.
Aqui é mais um desabafo, pois sei que se eu responder a altura quem me chamar de baixinha, eu estarei errada.

Enfim, ninguém conhece as dores e as alegrias de ninguém, isso faz parte de cada um, portanto, pensem duas vezes antes de chamar alguém de qualquer coisa. Pois um alemão pode ser ofender mais em ser chamado assim do que um negro.

sobre escolhas

1 jul

A vida é feita de escolhas, e qual a novidade nisso? Nenhuma.
Pois é, nenhuma mesmo. A gente cresce ouvindo isso mas parece que nunca sabemos. Ou, pior, nos fazemos de loucos e queremos fugir da responsabilidade quando algo dá errado ou,  pior ainda, acreditamos que o “acaso” que nos trouxe coisas boas.
Mudar de emprego, pedir demissão, começar um namoro, terminar um casamento, ter um filho (sim, pra mim isso é uma escolha!), sair de casa a pé ou de carro, ir a uma festa, dormir mais cedo, comer pão ou uma maçã… Todas as escolhas fazem diferença, algumas tem um impacto maior que outras, só isso.

Só isso?

É, tenho pensado nisso sobre escolhas nos ultimos dias, por me deparar com as minhas escolhas, em fazer ou não algumas coisas. Notei que o que eu sou hoje é o resultado de tudo aquilo que eu construi no passado, bom ou ruim (lamentavelmente eu não sou perfeita!! haha).

Falando sério, quando a gente para e pensa nas boas escolhas que fizemos? Ou reconhecemos as ruins? Raramente. Acredito que nenhuma escolha (a que traz alegrias ou tristezas) é em vão.

Nem sempre vejo o copo meio cheio, normalmente ele tá simplesmente na metade e ponto, pouco me importo com o a filosofia sobre tudo isso, mas acho que de tempos em tempos temos que decidir uma posição.

A vida é feita de escolhas sim, diariamente. Nem sempre acertamos e nem sempre erramos.

Recentemente tenho me deparado com as minhas más escolhas e visto que elas, certamente, me levaram a caminhos que impediram/impedem muitas coisas que hoje tenho que correr atrás. Paciência. Mas acho que isso não acontece só comigo. Até porque é mais fácil a sorte ou o azar ditar as coisas do que assumirmos as nossas escolhas.
Mas acredite, nada é uma questão de sorte e azar e sim de escolhas bem feitas e escolhas mal feitas.