Arquivo | janeiro, 2017

Se fosse fácil todo mundo fazia

31 jan

É simples assim a vida, se as coisas fossem fáceis, todo mundo faria igual! Todo mundo alcançaria as mesmas coisas… Independente de gostos diferentes, todo mundo chegaria longe, alcançaria os sonhos e desejos…. Mas não, almejar as coisas e conquistar não é fácil, nem um pouco!

Às vezes a gente tenta e tenta e tenta mais um pouco e ainda assim só se ferra! Dai sempre tem aquele consolo clássico “se não foi é porque não era para ser”. Acredito nisso, cegamente, mas também acredito que quando desejamos algo com todo o nosso coração, verdadeiramente, a gente alcança, mesmo que demore muito.

Descobri que eu nunca tive um sonho de verdade, do fundo da minha alma. Várias coisas que busquei até hoje (e muitas delas desisti e n acalcei!) não eram sonhos meus, eram projetados de outras pessoas. Na verdade, a maioria. Não foi ruim isso, pois só sou quem eu sou agora porque passei por isso, porque hoje reconheço isso, tenho consciência e tal.

Mas me entristece muito saber que um sonho só meu, um desejo verdadeiro vindo do coração, eu nunca tive! Talvez conhecer o Hawai seja um deles…, mas me parece tão pouco. E depois que eu for lá e conhecer?! Vou passar para outro lugar que eu queira conhecer? Não vejo moral nesse tipo de coisa…

Pois então, nem ter um sonho verdadeiro é tarefa “fácil”. A gente almeja 200 milhões de coisas ao longo da vida. Desde coisas fúteis e superficiais (na maioria das vezes é isso) até se curar de doenças e tal… Mas dai para e pensa, um sonho para valer MESMO! De verdade! Aquele que vem do coração… Parece algo um pouco mais confuso e complicado!

Anúncios

“go away”

17 jan

despedida

Desejar ir embora é um pouco, sim, querer deixar para trás tudo que passou, é começar do zero. É um sentimento, talvez um tanto inexplicável, pelo menos para mim! É um desejo tão profundo, o qual gera medo, ansiedade e ao mesmo tempo a certeza de estar fazendo a coisa certa!

Acho que o mais difícil nessa vida é saber o que é a coisa certa. Para mim, tudo foi sempre tão mutável. Tenho a sensação de que eu funciono na mesma frequência que as fases da lua, inconstante, profunda, confusa, mas de uma beleza inexplicável (não estou dizendo que sou linda esteticamente falando, ahh também não vou explicar….)!

Ao londo dos meus 31 anos e seis meses de vida vi muitas pessoas que eu amava irem embora e eu sempre estive lá, apoiando, dando força. Acho que é mais fácil para quem vai do que para quem fica. Lembro de ter dito isso para uma das pessoas que eu disse “adeus”! Que o sofrimento de quem fica é tentar viver com a lembrança em todas as coisas e lugares. Quem vai, é tudo novo, tem a saudade, lógico, mas são novas lembranças que surgem, são novos momentos, tem como distrair a dor…

Acho que agora é a hora de eu partir, de eu dizer adeus ás pessoas que amo. Sei que não vai ser fácil, sei que esse novo deslumbrante, em alguns momentos, não vai significar nada perto da saudade daquele cachorro quente fedido perto de onde costumava a ser minha casa. Mas acredito em ciclos e para mim, o que rege a vida é isso! Vivemos de acordo dos ciclos, sejam eles da lua, do sol, das marés (que na verdade são os da lua!)…

Ano do Galo de Fogo

16 jan

s4njg0atwae-joshua-newton2017 promete!

Promete ser um ano para acabar com tudo e recomeçar. Sabe aquelas viradas drásticas das coisas? Que precisam ter um fim, de fato, para ressurgirem?! Tenho essa a sensação sobre 2017.

Não vai ser fácil. Nada fácil. Não vai ser docinho, nem se comparado a 2016!! Desculpe, não sei me iludir quando não sinto de verdade algo! hehehe 2016 foi tenso, intenso e terrível! #sqn. Pelo menos para mim, foi um ano pesado (tipo aqueles dias de verão que tá um calor dos infernos e tá quase caindo um temporal, tu sente o ar pesado mesmo, úmido e aquela tensão pré-temporal!!). Para mim, isso descreve 2016! 2017 vai ser o temporal, o que tem que ficar fica, o que não tem,o vento, a chuva, a tormenta vai levar embora!

Nessa transição de ano, me dei conta de sentimentos loucos, intensos, os tornei racionais, isso não que dizer que os superei ou “deixei para lá”. Isso que dizer que tomei consciência de que nem tudo é tão claro, que nem tudo é tão certeiro, mesmo quando temos certeza e que a gente muda, que todo mundo muda, e muito, o tempo todo. Sempre penso que mudar é bom, odeio inércia, odeio gente que depois de 10 anos seguem com a mesma rotina, o mesmo pensamento e com os mesmos hobbies (gente sem graça!!!).

Acho que não é fácil. Conseguir racionalizar qualquer coisa é tarefa complicada, exige tempo, saco e um belo pacote de papel, porque é bem doloroso. Aprender a olhar para nós mesmos, para o nosso interior, para nossas dores e amores, sem filtros, sem julgamentos é tão complicado que dói. Tipo dor física, tipo doença do corpo físico também!

Por isso, o que eu sejo para este ano do Galo de Fogo é mais introspecção, mais auto conhecimento, e acima de tudo, algo que estou aprendendo, aos poucos, mas com muita dedicação: compaixão!