Tag Archives: morar fora

é dia de feira

18 maio

feira

Se tem algo que me faz feliz é ir na feira. Quando preciso ir nessas feiras de rua, atrolhadas de gente fico absurdamente irritada, porém, ter que ir no sacolão (estilo uma feira, em local fechado, que funciona todos os dias) eu fico muito animada, mais ainda quando vou sozinha e posso passear bastante, calmamente olhando todas as opções de coisas para fazer comida!

Ah sim, quinta-feira é meu dia eleito para ir no sacolão comprar as coisas para casa e principalmente para fazer comida pra Lucy (meu cachorro, que não come mais ração!). Enfim, o sacolão tem muitas opções de verduras, frutas, legumes e para completar descobri hoje que tem mudas de temperos. Lá funciona de uma forma muito prática (pelo menos nesse maior que vou aqui nos Ingleses): tem um preço único R$2,49, para tudo, que dizer, praticamente tudo, o que não é este valor, por exemplo os verdes (alface, rúcula, radite, etc), custam R$1,69 e tem uma plaquinha, assim como o que custa mais o que R$2,49. É super organizado, limpo, sempre tem vários funcionários vendo se as coisas estão boas e se todas as gândulas estão cheias. O atendimento é ótimo. Mas, tem coisas que ainda não me acostumei…. Funciona tipo um supermercado só com a parte de “feirinha”, porém, não tem saquinhos para colocar as coisas, só sacolas e eu tenho o péssimo costume de querer colocar tudo meio que junto (na hora de pesar ok, porque os valores é o mesmo para quase tudo), mas na hora de carregar e guardar em casa é pura burrice.

Quem tiver a chance de ir a um sacolão um dia, recomendo. Comprar coisas saudáveis, fresquinhas, saborosas, num lugar organizado, limpo e com bom atendimento, não tem coisa melhor.

Eis mais uma experiência delícia de morar na praia. 😀 vida mais saudável sim, com mais qualidade e mais feliz.

Assim, chego à quarta semana morando aqui. Somando ótimas experiências (mesmo depois de uma gripe que me deixou quatro dias na cama), cheia de alegria, leve, sorridente e extremamente agradecida pela oportunidade de estar aqui.

“go away”

17 jan

despedida

Desejar ir embora é um pouco, sim, querer deixar para trás tudo que passou, é começar do zero. É um sentimento, talvez um tanto inexplicável, pelo menos para mim! É um desejo tão profundo, o qual gera medo, ansiedade e ao mesmo tempo a certeza de estar fazendo a coisa certa!

Acho que o mais difícil nessa vida é saber o que é a coisa certa. Para mim, tudo foi sempre tão mutável. Tenho a sensação de que eu funciono na mesma frequência que as fases da lua, inconstante, profunda, confusa, mas de uma beleza inexplicável (não estou dizendo que sou linda esteticamente falando, ahh também não vou explicar….)!

Ao londo dos meus 31 anos e seis meses de vida vi muitas pessoas que eu amava irem embora e eu sempre estive lá, apoiando, dando força. Acho que é mais fácil para quem vai do que para quem fica. Lembro de ter dito isso para uma das pessoas que eu disse “adeus”! Que o sofrimento de quem fica é tentar viver com a lembrança em todas as coisas e lugares. Quem vai, é tudo novo, tem a saudade, lógico, mas são novas lembranças que surgem, são novos momentos, tem como distrair a dor…

Acho que agora é a hora de eu partir, de eu dizer adeus ás pessoas que amo. Sei que não vai ser fácil, sei que esse novo deslumbrante, em alguns momentos, não vai significar nada perto da saudade daquele cachorro quente fedido perto de onde costumava a ser minha casa. Mas acredito em ciclos e para mim, o que rege a vida é isso! Vivemos de acordo dos ciclos, sejam eles da lua, do sol, das marés (que na verdade são os da lua!)…